Installing SharePoint Server 2010 on Windows 8 Customer Preview using Server Farm installation type without a Domain Controller

25 de março de 2012 Deixe um comentário

Hi, I’m Guilherme Santos and today I will show you how install SharePoint Server 2010 based on Server Farm Configuration Installation Type on Windows 8 Customer Preview disconnected from a domain controller.

First off, you need to follow the steps on the following guide – Setting Up the Development Environment for SharePoint 2010 on Windows Vista, Windows 7, and Windows Server 2008 (http://msdn.microsoft.com/en-us/library/ee554869.aspx).

After installation of all Prerequisites, at this point you will choose the Installation Type (Figure 1).

(Figure 1)

For those who choose Server Farm, will be asked in the next step to create a new Server Farm or connect to an existing one (Figure 2).

(Figure 2)

If you choose to create a new Server Farm, you will need to specify the database access account in the “DOMAIN\user name” format (Figure 3). This account will be used to create a SharePoint Configuration Database.

(Figure 3)

One technique commonly knew by those who want to install SharePoint 2010 on Windows 7 (without a domain controller) using Server Farm installation type, is using the PowerShell command New-SPConfigurationDatabase to create the SharePoint Configuration Database. This method will allow you to create the Configuration Database specifying a local user account, rather than SharePoint Configuration Wizard (UI), that will only accept a domain account.

But how no everything is flowers, Windows 8 PowerShell runs on PowerShell 3.0 Engine, which uses .Net Framework 4.0 runtime and isn’t supported by SharePoint 2010. If you try to run New-SPConfigurationDatabase you will get an “Microsoft SharePoint is not supported with version 4.x.x.x of the Microsoft .Net Runtime” error (Figure 4).

(Figure 4)

To resolve this problem is quite simple. Basically you need to start PowerShell with elevated privileges, and change the PowerShell Engine by running the following command:

PowerShell.exe –Version 2
(Changes the PowerShell Engine to 2.0)

And this:

Add-SpSnapin Microsoft.SharePoint.PowerShell (Loads SharePoint cmdlets for PowerShell)

Now, you will be able to run “New-SPConfigurationDatabase” command without any trouble.

After you create the SharePoint Configuration Database, the next step is to run SharePoint Configuration Wizard again and choose connect to an existing server farm.

Now, the configuration process will start and you probability will receive an “There is a duplicate ‘system.web.extensions/scripting/scriptResourceHandler’ section defined” error (Figure 5).

(Figure 5)

This happens because the application pools previously created by the Configuration Wizard process are marked to run with version 4.0 of the .Net Framework runtime.

It’s time to go to the Internet Information Services Manager and change the version of the .Net Framework runtime on the application pools used for SharePoint to .Net Framework runtime 2.0 (Figure 6).

(Figure 6)

Finally, run the SharePoint Configuration Wizard again and see the overall process finishing successfully. (Figure 7, 8 and 9)

(Figure 7)

(Figure 8)

 

 

(Figure 9)

Well, I tried to guide you by one way that I previously passed through, showing you the problems that I passed by and the solutions applied to hit the target. Thanks for your attention. See ya.

Guilherme Santos
Interface IT – Gestão de Projetos e Colaboração
guilherme@interfaceit.com.br
follow me on twitter: @guilhrme

Categorias:Não categorizado

Vagas iFactory [Julho de 2011]

21 de julho de 2011 Deixe um comentário

Olá pessoal.

A iFactory, Multinacional do Segmento de TI, eleita em 2010 e 2011 como uma das melhores empresas de TI para trabalhar no Brasil, está contratando para sua sede em Fortaleza.

Se você gosta de trabalhar com desenvolvimento de software, aceita desafios e sabe superá-los, valoriza aprender e compartilhar conhecimento e sabe trabalhar em equipe, venha fazer parte de nosso time!

Desenvolvedor .NET Pleno e Sênior

Para exercer a função de Desenvolvedor .NET, você necessitará dos seguintes requisitos técnicos:

· Domínio em Desenvolvimento de Software para Web na plataforma .NET, utilizando a linguagem C#.NET;

· Nível superior completo ou em andamento em informática ou áreas afins.

Serão considerados diferenciais:

· Fluência na língua inglesa ou espanhola;

· Conhecimento em outras linguagens de programação.

Desenvolvedor Java Pleno e Sênior

Para exercer a função de Desenvolvedor Java, você necessitará dos seguintes requisitos técnicos:

· Domínio em Desenvolvimento de Software para Web na plataforma J2EE;

· Nível superior completo ou em andamento em informática ou áreas afins.

Serão considerados diferenciais:

· Fluência na língua inglesa ou espanhola;

· Conhecimento em outras linguagens de programação.

Desenvolvedor iOS

Para exercer a função de Desenvolvedor iOS, você necessitará dos seguintes requisitos técnicos:

· Conhecimento avançado em C,Objective C, XML e Java Script;

· Conhecimento em HTML 5 e CSS;

· Conhecimento em SQLite;

· Experiência prévia com desenvolvimento para aplicações mobile;

· Experiência com desenvolvimento para iOS 3.x e iOS 4.x;

· Habilidade com depuração em vazamento de memória;

· Conhecimento em Interface Builder.

Desenvolvedor Android

Para exercer a função de Desenvolvedor Android, você necessitará dos seguintes requisitos técnicos:

· Conhecimento avançado em Java, XML e Java Script;

· Conhecimento em HTML 5 e CSS;

· Conhecimento em SQLite;

· Experiência prévia com desenvolvimento para aplicações mobile;

· Experiência com desenvolvimento para Android 2.x;

· Desejável experiência com desenvolvimento para Android 3.x.

QA de Software

Para exercer a função de QA de Software, você necessitará dos seguintes requisitos técnicos:

·  Desenvolver Planos de Testes de Qualidade para cada projeto, explicitando o Escopo a ser testado e as Abordagens de Teste (níveis de testes, estratégias de testes, critérios de aceitação, documentos entregáveis, ambiente de testes, responsabilidades, riscos dos projetos de testes, cronograma de testes e conclusão dos testes);

· Realizar atualização dos Planos de Testes de acordo com as necessidades dos projetos e/ou por sprint;

· Criar e montar os casos de testes de acordo com os requisitos funcionais e não funcionais dos entregáveis do projeto;

· Realizar os testes seguindo os casos de testes criados e avaliar os resultados obtidos;

· Listar e elaborar relatório de requisitos não aprovados pela Qualidade e passar para equipe do projeto para correção e melhoria dos mesmos (Relatório de Reporte de Issues);

· Aprovar os entregáveis do projeto, formalizar através de e-mail, registrando os casos de testes realizados e a aprovação de todos os requisitos e funcionalidades testadas pela Qualidade, bem como fornecer os devidos esclarecimentos para promover as adequações necessárias;

·  Necessário fluência em inglês.

Engenheiro de Suporte

Para exercer a função de Engenheiro de Suporte, você necessitará dos seguintes requisitos técnicos:

· Noções de ITIL (opcional)

· Conhecimento em sistema operacional de servidor (Windows server, Linux, Solaris, etc..)

· Conhecimentos em LDAP (opcional)

· Conhecimento em banco de dados (Oracle, SQL Server, etc..),

· Conhecimento em Application server (Weblogic, Tomcat, Websphere, etc..)

· Conhecimento em Java

· Conhecimentos em Web server (IIS, Apache, etc..)

· Experiência com atendimento a clientes;

· Nível Superior completo ou em andamento em informática ou áreas afins;

· Fluência na língua inglesa ou espanhola.

Em contrapartida, lhe ofereceremos um excelente ambiente de trabalho e benefícios, tais como:

·         Contato com tecnologias das maiores empresas da área, e oportunidade de especialização nas mesmas: ORACLE, IBM, MICROSOFT, APACHE, etc;

·         Atuação em projetos nacionais e internacionais;

·         Oportunidade de crescimento profissional e pessoal;

·         Ambiente de trabalho descontraído;

·         Encorajamento à melhoria profissional contínua (cursos, certificações, etc..);

·         Compartilhamento contínuo de conhecimento;

·         Bônus de apoio aos estudos;

·         Investimento em certificações;

·         Investimento em cursos;

·         Vale refeição;

·         Plano odontológico;

·         Convênio com plano de saúde;

·         Convênio com academia de ginástica;

·         Convênio com assessoria esportiva;

·         Convênios/descontos diversos com faculdades, cursos de línguas, etc.

Os interessados devem enviar currículo para guilherme.santos@ifactory.com.br

Para conhecer um pouco mais de nossa empresa, serviços e clientes, visite nosso site em www.ifactory.com.br

Categorias:Não categorizado

Resultado da Segunda Fase do Microsoft S2B – Canindé

4 de maio de 2011 1 comentário

Olá Pessoal,

Confiram abaixo o resultado da 2a. Fase do Programa Microsoft Student to Business 2011 em Canindé, que está ordenado por odem alfabética:

Afonso Alves de Souza Filho
Amanda Maria Pontes Freitas
Antonia Raiane Santos Araujo
Antonio Luando Santos Luz
Benicio Tomaz Tinoco da Silva
Carlos Augusto Vieira Almeida Junior
Eliando Pereira Silva
Francisca Kellory Meneses Mauricio
Francisco Adaias Gomes da Silva
Francisco Bruno da Rocha Souza
Francisco Ebson Gomes Sousa
Francisco Iran Santos Mariano
Francisco Leandro da Silva
Isabel Thalyta Pereira Abreu
Jefferson Sousa Alencar
Lilia Natielle Umbelino Lôbo
Luís Felipe Lima da Silva
Luiza Domingos Araujo
Manuel Arthur de Souza Maciel
Maria Sulamita dos Santos Sales
Michael Guimarães de Almeida
Pedro Lucas Saraiva Freitas

Aos que não passaram, não é hora de abaixar a cabeça. Aprendi com vocês muitas coisas boas, e percebi o quanto vocês são determinados e capazes.

Sucesso na vida não é ver todas as nossas ações darem certo, mas é independente disso, andar com integridade, responsabilidade, éticae e sobretudo, na presença de Deus.

Todos vocês são campeões. Ah, não esqueçam da estória da princesa que eu contei no intervalo da aula. Um dia ela será útil pra vocês, se já não estiver sendo.

Nunca desistam de seus sonhos, sendo estes, bons.

Obrigado a todos que contribuiram direta e indiretamente para o sucesso do curso.

Lembrando que a caminhada não acaba por aqui. Ainda há muito o que estudar e aprender. Continuem a fazer e refazer todos os laboratórios, busquem informações na Internet e se preparam pra terceira e última fase do Programa Microsoft S2B em Canindé.

O mundo espera por vocês.

Sucesso a todos!

Saudações,

Agora não mais professor, mas amigo,

Guilherme Santos.

Categorias:Não categorizado

Material Segunda Fase Student to Business

26 de abril de 2011 Deixe um comentário

Para os alunos do Student to Business de Quixadá/CE e Canindé/CE, está disponível o material apresentado no treinameto: Slides e Laboratórios práticos.

Para acessar o conteúdo basta acessar o link abaixo:

http://www.4shared.com/file/8c_KQg4H/Student_to_Business_2010_-_2a_.html

Categorias:Não categorizado

Windows Server 2008 R2 – Revisão Copa Microsoft de Talentos

15 de maio de 2010 Deixe um comentário

Features

LiveMigration

Precisa-se de no mínimo duas máquinas e no máximo 16. Por quê? Porque ele vai usar a infra-estrutura de clusters. Um recurso chamado de FailOver Clustering. Como ele funciona? Você tem seus servidores, cada um com seu disco local, sua própria instalação. Por outro lado, suas maquinas virtuais .vhd vão estar armazenadas numa storage compartilhada. Então seus servidores vão estar ligados à storage.

O LiveMigration leva “a quente” uma maquina virtual do nó de um cluster para outro. As configurações são levadas e em seguida ele faz uma passada na memória diversas vezes. Os trechos de memória que não estão em uso são levados durante as diversas passadas, fazendo com que os trechos que estão em uso sejam reduzidos de maneira tal que possam ser levados de uma única vez (Isso é o que chamamos de Dirty Bitmap Pages). No final do processo, há uma pequena interrupção que não chega a ser percebida pelo usuário devido ao timeout.  Recomenda-se que o LiveMigration seja executado em um horário onde as operações de escrita/leitura na memória das maquinas sejam mínimas. Recomenda-se também uma rede gigabit dedicada para o transporte de uma máquina virtual de um nó para o outro.

Que versões do Windows Server suportam o LiveMigration? Basicamente as versões que suportam o FailOver Clustering: Windows Server 2008 R2 Enterprise, DataCenter e Hyper-V Server 2008 R2 (versão gratuita).

Uma questão importante que se deve ter em mente é: Como que eu faço o acesso da maquina física com a storage? Através do protocolo Scsi ou Scsi over ip. Lembrando que o Windows Server 2008 e 2008 R2 não suportam o que chamamos de Paralell Scsi, mas o Scsi 3.

Uma pergunta importante: O que eu devo fazer para que minha máquina virtual consiga criar um diretório mapeado da minha storage, ou aquilo que chamamos de LUN? O método mais simples é utilizando iScsi. Pra quem não sabe Scsi é um protocolo. Então eu passo um comando Scsi em um pacote TCP. Com esse modelo eu posso utilizar uma placa ethernet pra fazer um acesso a uma storage.

Fazer cluster dentro das maquinas virtuais é possível? É! Desde que utilize o iScsi.

Virtualização de Área de Trabalho – Remote Desktop Services

É o antigo Terminal Services. Agora ele mudou de nome e ganhou a capacidade de virtualizar o Desktop dos usuários. Quando falamos de virtualização de Desktop, basicamente temos dois tipos. O primeiro, onde é criada uma maquina virtual dedicada por usuário e a segunda que chamamos de Pool de Desktops, um único Desktop virtual onde a máquina que não é mais utilizada, volta pro pool, e nenhum estado de configuração é mantido. Caso deseje-se gravar o estado dessas maquinas, pode-se usar o Folder Redirection ou Roaming Profile.

O que mais o Remote Desktop Services faz? Um ponto de melhoramento bem interessante é no Remote Application Manager (que tem a capacidade mandar apenas a tela da aplicação para o usuário. A memória e o processamento estar o servidor) que agora tem a capacidade de restringir por aplicação, o acesso por parte do usuário.

Instalação

Desde a versão Windows Server 2008, tínhamos um tipo de instalação chamada Server Core. A instalação Server Core não possui interface gráfica e uma serie de aplicativos não são instalados junto com o sistema operacional. Conseqüentemente isso reduz bastante o consumo de memória e também a superfície de ataques.

Gerenciamento

PowerShell 2.0

Basicamente tudo o que você pode fazer na interface gráfica do Windows, você também pode fazer no PowerShell, que é uma linguagem de scripts. Possui módulos de acordo com o produto. Então tem o módulo para Exchange, para SQL e também o modulo para Active Directory.

Active Directory

A lixeira do Active Directory é um recurso bastante interessante (e que só vai funcionar se os Domain Controllers forem Windows Server 2008 R2). Quando apagamos um usuário, ele não é apagado totalmente do Active Directory, ele vai para um lugar que chamamos de tombstone. Entao com a lixeira, conseguimos voltar aquele objeto “a quente” para o meu ambiente.

Qual que é vantagem? Antigamente se apagássemos um usuário ou um contato, e quiséssemos restaurar, teríamos que fazer um Restore do Active Diretory. Com a lixeira não precisamos fazer mais isso.

Core Parking

É a capacidade que o Sistema Operacional tem de desligar um núcleo do processador dinamicamente. Não é visualizado via TaskManager, mas sim pelo ResourceMonitor. Já vem ativado por padrão.

Server Manager

Possuía uma nova capacidade, que é a de gerenciar máquinas remotas.

Use IE IESC, para configurar alguns alertas de segurança do Internet Explorer. Por usuário ou por administradores.

Best Practices Analyser (BPA)

Analisa o servidor e aponta as melhores práticas de configuração sugeridas pela Microsoft.

Por exemplo: Em relação ao ActiveDirecotory, sabemos que é uma boa prática colocar a database e os logs separados do disco do Sistema Operacional. Mas se você comprar um servidor que tem apenas um disco e não tem como separar a database e os logs em outras partições, você pode, por exemplo, excluir esse alerta do resultado do BPA. Porém, se o BPA for rodado novamente, aquele alerta estará de volta.

O interessante é o que BPA também mostrar como corrigir problemas de configuração através de um link que aponta direto pro TechNet, onde existe a descrição e a solução do problema encontrado. O Windows Update atualiza essas práticas conforme elas vão sendo disponibilizadas pela Microsoft.

Diagnósticos

Event Viewer

Uma nova capacidade do Event Viewer, que vem desde a versão 2008 e continua presente no Windows Server 2008 R2, é que ele agora pode ser visualizado como um arquivo XML. Então imagine que você precisa ler algumas informações direto do Event Viewer, você pode usar o XML para isso.

Subscription

Outra tecnologia do 2008 que também está presente no Windows Server 2008 R2. Imagine que você precisa dos logs de login de vários Domain Controllers para fazer uma auditoria. Como você faria? Salvaria todos os Event Viewers, e filtraria por evento. Com o Subscription, todos esses logs podem ser centralizados em uma única máquina. E isso pode ser feito de dois modos: Todos os Domain Controllers mandam os eventos para a máquina centralizada ou a máquina centralizada pega das Domain Controllers os eventos que ela precisa. O interessante disso tudo é você pode selecionar os eventos que deseja capturar, por palavra-chave, id, etc.

Apesar da comunicação ser feita por http ou https, não significa que a máquina que irá capturar os logs precisa ter IIS instalado. Ele vai utilizar a porta, e não o serviço.

Roles e Features

Sabemos que o Windows Server 2008 e o Windows Server 2008 R2 são divididos em Roles e Features. Uma role é o papel principal da máquina. Já as Feature são as ferramentas que dão suporte para a Role. É bastante importante saber as principais features disponíveis no Windows Server 2008, pois isso pode salvar a sua pele algum dia!

Attach de VHD

Um recurso bastante interessante onde podemos dar um attach de um vhd (se este não estiver sendo usado no momento). O novo disco ficará disponível assim como uma unidade de disco local comum.

Pergunta de prova: Como é que eu faço para copiar um arquivo de uma maquina física para uma maquina virtual? Não é fazendo drag-and-drop de arquivos. Por padrão a arquitetura do Hyper-V só permite o acesso via rede!

Categorias:Não categorizado

Exportação de dados de uma Planilha do Excel para uma Lista do SharePoint

30 de março de 2010 Deixe um comentário
Em breve…
Categorias:Artigos

Microsoft Community Day – Faculdade Evolução – 3o. dia

28 de março de 2010 Deixe um comentário
Olá pessoal,
tudo bem?
 
Ontem na Faculdade Evolução aconteceu mais um dia de MCD, e os palestrantes foram Udy Ferreira com Visual Studio 2010, Olavo Neto com SQL Server 2008 R2 e Rafael Biserra com Office 2010.
Apesar da ausência do Pablo Weyne de IIS7.5, a rapazeada deu conta do recado e mandou ver nas palestras.
Mesmo com a hora já avançada e a fome apertando, o pessoal conseguiu prender nossa atenção com as novidades que estão vindo por aí.
 
Obrigado a todos dos grupos Cearadotnet e ITPro.
 
Até a próxima!
Categorias:Geral